Concurso da Polícia Penal DF: conheça requisitos e atribuições do cargo

0
101

Já estão abertas as inscrições para o concurso da Polícia Penal DF com oferta de 1.179 vagas na corporação, das quais 400 imediatas e 779 para formação de cadastro reserva (CR).

Os interessados podem se inscrever até 11 de abril, pagando taxa de R$ 175. O formulário para cadastro está disponível neste link. O processo seletivo é organizado pelo Instituto AOCP.

Opção para profissionais com curso superior em qualquer área do conhecimento, a carreira de policial penal oferece salário inicial de R$ 5.445. Os contratados cumprirão jornada semanal de 40 horas.

Conheça, a seguir, as atividades que fazem parte da rotina de trabalho dos ocupantes do cargo, conforme as atribuições detalhadas no edital:

  • promover o atendimento, a custódia, a vigilância e a guarda da pessoa privada de liberdade e do internado; I
  • zelar pela disciplina e pela segurança da pessoa privada de liberdade e do internado;
  • realizar a conferência periódica da pessoa privada de liberdade e do internado;
  • realizar rondas periódicas no estabelecimento penal;
  • verificar as condições de segurança, limpeza e higiene das celas e dos espaços de uso diário da pessoa privada de liberdade e do internado;
  • realizar a distribuição da alimentação à pessoa privada de liberdade e ao internado;
  • realizar a distribuição de vestuários e materiais de higiene pessoal destinados à pessoa privada de liberdade e ao internado;
  • realizar as atividades de escoltas internas e externas;
  • conduzir veículos destinados ao sistema penitenciário;
  • operar equipamentos destinados ao funcionamento e à segurança do estabelecimento penal;
  • operar os equipamentos letais e não letais destinados à segurança e os aparelhos e os equipamentos de proteção individual, e zelar pelo seu uso;
  • zelar pela manutenção, pela conservação e pelo uso correto das instalações do estabelecimento penal;
  • realizar a guarda e a vigilância tanto interna quanto externa, incluindo as muralhas e áreas adjacentes que integram o estabelecimento penal ou um conjunto de estabelecimentos penais dispostos em uma mesma área física;
  • realizar o atendimento, a orientação e a vigilância de visitantes da pessoa presa e do internado, dos profissionais do sistema de justiça penal, dos grupos assistenciais e da sociedade civil;
  • fiscalizar a entrada e a saída de pessoas e veículos no estabelecimento penal e nas áreas adjacentes de segurança tanto interna quanto externa;
  • conduzir a pessoa privada de liberdade e o internado para as atividades de assistência previstas na lei de execução penal (de saúde, jurídica, educacional, social e religiosa), mantendo-os sob vigilância;
  • conduzir a pessoa privada de liberdade e o internado para as atividades de trabalho interno, mantendo-os sob vigilância;
  • promover a fiscalização do trabalho externo, conforme condições definidas pela direção do estabelecimento penal;
  • fiscalizar o cumprimento dos deveres da pessoa presa, previstos na lei de execução penal;
  • exercer o respeito à integridade física e moral da pessoa presa e do internado;
  • contribuir para o cumprimento dos direitos da pessoa presa e do internado, previstos na lei de execução penal;
  • promover diariamente os registros administrativos e de informações penais, inclusive aqueles dispostos em sistemas eletrônicos, relacionados à pessoa presa, ao internado, ao estabelecimento penal, a veículos e a toda espécie de equipamento disponibilizado;
  • atuar no monitoramento e na fiscalização da pessoa presa, em saída temporária, prisão domiciliar e monitoramento eletrônico;
  • fiscalizar o cumprimento de medidas cautelares diversas de prisão e penas restritivas de direito;
  • observar medidas de segurança contra acidentes de trabalho;
  • frequentar cursos de formação e aperfeiçoamento e treinamentos inerentes às suas atividades;
  • efetuar atividades de inteligência voltadas à segurança e à repressão da prática de ilícitos no interior dos estabelecimentos penais;
  • compor comissões permanentes e especiais de disciplina, mediante designação ou nomeação para tal;
  • atuar na recaptura de fugitivos das unidades do Sistema Penitenciário do Distrito Federal;
  • efetuar recambiamento de presos foragidos das unidades do Sistema Penitenciário do Distrito Federal que se encontram em outros estados da federação;
  • exercer outras atividades que lhe forem cometidas compatíveis com o seu cargo.

Distribuição das vagas

Das 400 vagas imediatas em disputa no concurso da Polícia Penal DF, 200 são para ampla concorrência; as demais estão divididas da seguinte forma:

  • 80 para pessoas com deficiência;
  • 80 para candidatos autodeclarados negros;
  • 40 para candidatos hipossuficientes.

No caso das 779 oportunidades para cadastro reserva, a distribuição ficou assim definida:

  • 390 para ampla concorrência;
  • 155 para pessoas com deficiência;
  • 156 para candidatos autodeclarados negros;
  • 78 para candidatos hipossuficientes.

Vinculados à Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape), os aprovados no processo seletivo vão atuar nas unidades prisionais abaixo:

  • Centro de Detenção Provisória;
  • Centro de Detenção Provisória II;
  • Penitenciária I do Distrito Federal;
  • Penitenciária II do Distrito Federal;
  • Centro de Internamento e Reeducação;
  • Penitenciária Feminina do Distrito Federal (apenas mulheres).

Concurso da Polícia Penal DF: o que vai cair na prova?

Marcada para 12 de junho, a avaliação objetiva cobrará a resolução de 150 questões do tipo “certo” ou “errado” em, no máximo, cinco horas. As perguntas abordarão temas sobre:

  • língua portuguesa;
  • história e geografia do DF;
  • informática;
  • raciocínio lógico;
  • direito administrativo;
  • direito constitucional;
  • administração financeira e orçamentária;
  • direito penal;
  • direito processual penal;
  • direito penitenciário e criminologia;
  • legislação aplicada aos servidores do DF;
  • legislação especial.

O caminho até a aprovação exigirá ainda que os participantes superem outras quatro etapas: teste físico, avaliação psicológica, sindicância da vida pregressa e curso de formação.

A seleção terá validade de dois anos, a contar da homologação do resultado final. O prazo poderá ser prorrogado uma vez, por igual período, a critério da corporação, conforme estabelece o edital.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here